está aqui: home > artigos > plano para a compra bem sucedi...

Envie a um amigo
Recomende o vivapets
de:


para:


mensagem:

[ enviar ]

 

Plano para a compra bem sucedida de um réptil

ARCADENOE.SAPO.PT

É um especialista sobre este tema? 
Esta funcionalidade exige que esteja registado no VIVAPETS

Pode fazer o login da sua conta ou criar uma nova conta.
Enviar este artigo a um amigo!
Preencha o formulário abaixo

o seu nome:
o seu email:
nome do seu amigo:
email do seu amigo:
comentários:
 
Quarta, 20 de Fevereiro 2013

Plano para a compra bem sucedida de um réptil
Passo 1 – Obter informações

A classe dos répteis ou sáurios é extremamente vasta e diversa. Esta classe inclui os escamados (Squamata), largartos, cobras, etc., na qual se inclui mais de 6500 espécies, as tartarugas (Testudinata), as tuataras (Sphenodontia) e ainda os crocodilos (Crocodilia).

O comprador de um réptil deve assim pesquisar sobre as raças da sua eleição, incidindo a pesquisa sobre:
  • alimentação – carnívoro ou herbívoro (frutívoro, insectívoro, etc). No caso de comerem alimento vivo, está disposto a criar os animais para alimentação ou a comprá-los? No caso de comerem saladas, está disposto a prepará-las regularmente?
  • hábitos – nocturno ou diurno; manuseamento. Está disposto a manusear todos os dias o seu animal e inspeccionar o seu estado de saúde? Está preparado para lidar com espécies menos dadas ao manuseamento e/ou mais territoriais?
  • alojamento – tipo de terrário (clima), espaço necessário, equipamento, etc. Ter um réptil implica um investimento inicial no terrário, que dependendo da espécie poderá ter de ser substituído após algum tempo. O terrário implica também uma limpeza regular. A higiene do terrário é tão importante para a saúde do animal como para a do dono. Não se esqueça de lavar sempre as mãos após manusear o réptil.

Não fique apenas pela pesquisa em livros ou internet. Procure observar exemplares ao vivo, quer seja em zoos, exposições ou mesmo criadores.

Depois de escolhida a espécie, pesquise veterinários capazes de tratar répteis. Todos os donos de animais devem ter o contacto de um veterinário à mão. Contudo, isto é especialmente verdadeiro para os répteis, porque se no caso dos cães e gatos não é difícil encontrar um veterinário, no caso de répteis a situação torna-se mais complicada e morosa, tempo esse que pode fazer a diferença num caso de emergência.

Passo 2 - Compra

Quem compra uma espécie protegida deve possuir um certificado que comprove a legitimidade da posse. Deve pedir na loja um comprovativo de compra ou mesmo a cópia do registo do animal.

Existem vários locais onde pode comprar um réptil, começando nas lojas de animais, passando por criadores ou mesmo exposições de répteis. Para encontrar estes locais, pode pesquisar na internet ou então recorrer a uma revista da especialidade, onde geralmente os criadores anunciam as crias. Muitas vezes é usada a codificação: “X,Y,Z espécie”, por exemplo, 3,1,2 iguana iguana, que significa 3 machos, 1 fêmea e 2 de sexo indefinido.

Inspeccione o local
Não deve comprar exemplares mantidos em locais pouco cuidados.

Observe o animal e procure sinais que evidenciam algum problema. Alguns desses sinais são (conforme as espécies):

  • Escamas anormais, escamas que ficaram de mudas anteriores (caso a muda já tenha acabado), especialmente as escamas que cobrem os olhos.
  • Inchaços, feridas ou cortes
  • Queimaduras, especialmente na barriga
  • Pregas longitudinais na pele – geralmente acompanhadas por costelas sobressaídas, devido à má alimentação
  • Parasitas externos

Observe se o animal se desloca normalmente. Se o réptil tiver algum dos sintomas acima descritos, não o compre. As cicatrizes, apesar de apenas afectarem a aparência do animal, podem indicar que o réptil não tinha as situações ideias para viver.

Passo 3 - Alojamento

Não se esqueça de preparar o terrário antes de comprar o animal. Estes animais têm exigências específicas, como o aquecimento, e não há forma de improvisar um espaço com as condições necessárias, como acontece com os cães e gatos. Há equipamento obrigatório que tem de ser comprado e que varia de espécie para espécie.

Para estes animais, mudar de instalações provoca stress e não deverá alimentá-los assim que cheguem a casa. Espere pelo menos dois dias antes de alimentar os herbívoros e uma semana no caso dos carnívoros.

Deve vigiar o seu animal nos primeiros tempos, para garantir que está saudável e que se está a habituar à nova casa. Fezes pastosas, com vestígios de sangue ou com germes indicam que o seu animal não está de boa saúde. Recolha uma amostra das fezes e leve-a ao veterinário.

Caso tenha alguma dúvida, o criador e o veterinário são as suas melhores hipóteses de ajuda. Ter um réptil como animal de estimação é uma decisão que acarreta implicações a longo prazo. Não ofereça um réptil como prenda, antes de discutir o assunto com a pessoa a quem vai oferecer. Por vezes, as pessoas que desejam répteis ainda não se informaram o suficiente e por isso ainda não tomaram a decisão de o comprarem elas próprias. Não se esqueça que os animais crescem e necessitam de cuidados ao longo de toda a vida, que pode durar, se tudo correr bem, largos anos.

Boa sorte com a sua escolha!

Imagem principal: motleypixel, atribuição obras derivadas proibidas
adicionar um artigo
Bookmark no site::
Del.icio.usDiggNewsVineDe.lirio.usBlinkbitsBlinklistBlogmarksCo.mmentsFarkFurlMa.gnoliaNetvouzRedditScuttleShadowsSimpyTailRankYahooMyWeb
Comentários (3)adicionar comentário
Esta funcionalidade exige que esteja registado no VIVAPETS

Pode fazer o login da sua conta ou criar uma nova conta.
03.09
henrique501 disse:
muito obrigado ao escritor deste texto, posso agora ter o meu próprio reptil
09.12
CH2O2 disse:
O passo 3 deveria vir antes do passo 2.
22.02
psy_mushroom disse:
muito bem :) infelismente há quem tenha repteis, nomeadamente cobras e os tenha só para se exibir... conheço alguns assim...
rede vivapets:  Português Português English English Español Español Deutsch Deutsch